1. Introdução
  2. Sintaxe
  3. Histórico
  4. Download

1. Introdução

t2tmake é um programa criado para facilitar a tarefa dos usuários do txt2tags. Foi desenvolvido em Ruby.

1.1. Facilidades

Entre as facilidades, é possível destacar:

2. Sintaxe

Existem dois modos principais. O primeiro é informando os parâmetros diretamente na linha de comando. Em alguns casos é a opção mais simples. Em outros, esta operação pode gerar um certo desconforto pelo número de parâmetros. Para estes casos, o usuário poderá armazenar a seqüência dos parâmetros em um arquivo e utilizar apenas o parâmetro -b.

2.1. Linha de comando

-t, --type=TARGET
Permite especificar o tipo de arquivo que será gerado pelo txt2tags (html,xhtml,sgml,tex,man,mgp,moin,pm6,txt)

-e, --ext=EXT
Informa a extensão dos arquivos que serão gerados (você pode forçar uma extensão php, por exemplo)

-r, --recusive
Será feito o processamento recursivamente, isto é, em todos os subdiretórios. Se não for informada, apenas o diretório atual será processado.

-s, --sdir=DIR
Especifica o diretório onde os arquivos que serão processados se encontam. Em caso de omissão, o diretório atual será utilizado.

-d, --ddir=DIR
Especifica o diretório destino, isto é, onde os arquivos resultantes do processamento pelo txt2tags serão gravados. Em caso de omissão, será criado um subdiretório que terá como nome um sublinhado mais o tipo de arquivo que será gravado. Por exemplo, se for informado -t html, os arquivos .html gerados pelo txt2tags serão gravados no subdiretório _html.

-l, --log[=FILE]
Será gerado um arquivo contendo os arquivos gerados pelo txt2tags. Se o arquivo não for especificado, um arquivo com o nome t2tmake.log será gerado no diretório destino.

--L10N
Gera os arquivos conforme localização para o Apache. Se o nome do arquivo original for index-en.t2t, o nome do arquivo destino será index;html.en. Assim, conforme a linguagem especificada pelo navegador, o Apache retorna o mais adequado. Se nenhum se enquadrar, será mostrada uma página com os arquivos disponíveis para que o usuário escolha a linguagem mais familiar.

-a, --all
Força o processamento de todos os arquivos, independente de terem ou não sido modificados em relação a última geração.

-c, --clean
Apaga todos os arquivos destinos antes do processamento.

-f, --flags=x,y,z,...
Envia os parâmetros diretamente para o txt2tags. Por exemplo -f--css-suggar, enviará --css-suggar na linha de comando para o txt2tags. É possível especificar diversos parâmetros, mas os mesmos deverão estar separados por vígula e não pode conter espaços. Se você necessitar de espaço, utilize o sublinhado.

-k, --skip=f1,f2,...
Informa um ou mais arquivos que deverão ser pulados (ignorados) no diretório fonte. Útil quando o usuário possui arquivos utilizados no include do txt2tags e possuem a a extensão .t2t. As mesmas restrições quanto a separação e utilização de espaços do parâmetro anterios -f. Coringas (*, ?) tanbém não são aceitos.

-b, --batch=[LABEL[,FILE]]
Informa a utilização de um arquivo de lotes (batch). Para meiores informações, veja o tópico sobre Arquivo de lotes. Se não for informado nenhum parâmetro, o nome do arquivo será t2tmake.conf e deverá se encontrar no diretório home do usuário (~ para o Linux e valor da variável HOME no Windows). Se o rótulo (label) não for especificado, será procurado pelo nome do diretório atual no arquivo de lotes. Se o rótulo não existir no arquivo, será mostrado ao usuário uma listagem dos rótulos disponíveis.

-h, --help
Mostra informações sobre a utilização dos parâmetros no t2tmake

-V, --version
Informa a versão do t2tmake

2.2. Arquivo de lotes

Um arquivo de lotes é apenas um arquivo texto contendo um ou mais rótulos (labels) seguido por uma serie de parâmetros que deverão ser enviados para o programa em substituição à linha de comandos. O arquivo deverá seguir o seguinte formato:

  1. Cada seção deverá estar entre colchetes [] e o nome não deverá possuir espaçoes. Por exemplo, -bt2t-make refere-se a uma seção cuja a entrada está como "["t2t-make"]" no arquivo de lotes.
  2. As seções deverão ser separadas por uma ou mais linhas em branco.
  3. Após cada rótilo que identifica uma seção, devem seguir os parâmetros conforme especificados para a linha de comando. Para facilitar a visualização, apenas um parâmetro por linha.
  4. Para a especificação de caminhos com espaços (mais comuns no Windows), coloque o mesmo entre aspas.

Como pode ser visto no exmplo abaixo, o arquivo é bem simples. Pelamordedeus, não me venha com XML. Definitivamente o XML não foi feito para esta tarefa (pelo menos só serviria para atrapalhar)

2.2.1. Exemplo

Um exemplo de arquivo de lotes poderia ser:

[txt2tags]
--L10N
--type html
--sdir "F:/txt2tags/site"
--ddir "C:/Arquivos de programas/Apache Group/Apache/htdocs/txt2tags-win"

[ruby-ptbr]
--type html
--ext inc
--sdir "C:/guaracy/Ruby/site"
--ddir "C:/Arquivos de programas/Apache Group/Apache/htdocs/ruby-ptbr"
-r

[t2tmake]
--type html
--ddir .
-f--css-suggar,--style=color.css,--toc,-n
-r

3. Histórico

3.0.1. 24/07/2004

Versão 1.1 (desenvolvimento)

3.0.2. ../07/2004

Versão 1.0 (parte do pacote do txt2tags)

4. Download

4.1. Ruby

Para executar o programa, você deverá ter instalado em seu computador o Ruby na versão 1.8 ou superior.

4.1.1. Linux

Se você usa o Linux, provavelmente um pacote para a sua distribuição estará disponível em alguns dos CDs ou em diretório apropriado. Caso não encontre, primeiro coloque na lista de bugs da sua distribuição :-) depois baixe os fontes, e proceda conforme o usual para a compilação, e instalação (geralmente /configure, make, make install).

4.1.2. Windows

Se você ainda não possui o Ruby instalado no seu computador, basta baixar o programa de instalação existente no site Rubyforge. É só executar que tudo será instalado automaticamente para você. Para uma melhor instalação, você deverá possuir direitos para alterações no registro (apenas para registrar a extensão .rb e .rbw).

4.2. t2tmake.rb

Basta baixar o t2tmake.rb e salvá-lo em um diretório que está no seu path (para facilitar a execução).